2015-03-29 08.31.43 (Cópia)

Giro pela BR262 até Domingos Martins

Nesse domingo (26/03/2015) eu, Pedro e André resolvemos subir pela BR262 até Domingos Martins. Depois do Brevet 300 de Paraíba do Sul (uma semana atrás) foi o primeiro pedal que fiz.

Estava ha uma semana parado, sem tempo nenhum para rodar. Aproveitei e inaugurei minha 29er com rodas de Speed (as fotos estão abaixo). Pretendo usar essa configuração nos Brevets 400 e 600. Assim posso ter um pouco mais de conforto e menos dores nos ombros, do que quando utilizo minha Speed.

2015-03-24 15.34.50 (Cópia) 2015-03-24 15.35.01 (Cópia) 2015-03-24 15.35.09

 

Saímos de Vila Velha as 06:30 da manhã em direção à Viana. Tivemos um pneu furado e chegamos lá para tomar um café por volta das 07:20. Depois de alimentados, começamos a subida da serra.

Muitos falam e me perguntam se é perigoso subir a BR262… Bom, qualquer asfalto é perigoso para nós, mesmo no acostamento. Mas nos dias de domingo o trânsito de veículos é significativamente menor. Não sei o que acontece, mas os veículos grandes nos respeitam muito mais na serra do que na cidade (sim, a maioria deles passam a mais de 1,5 m de distância). Além disso, não custa nada ficar visível para os carros. Então para quem pretende fazer esse percurso, eu recomendo a utilização de um colete de sinalização (conforme pode ser observado abaixo).

pedro 1 (Cópia)
Apesar da falta de acostamento, por quase todo o caminho dá para andar bem na beirada da estrada, além da faixa de rolamento em uma pequena área de escape (veja na sequência).

pedro 4 (Cópia) pedro 2 (Cópia) pedro 3 (Cópia)

 

Chegamos em Domingos Martins com aproximadamente 03:30 horas de pedal. Demoramos pois além do pneu furado, eu tive que parar umas 3 vezes para ajustar o selim (havia muito tempo que não pedalava com a 29er e estava desacostumado com a geometria da bike).

Mas depois dos trancos e barrancos chegamos e fizemos a foto oficial (em frente à Igreja Luterana) de todos que sobem a serra até lá.

Andre 1 (Cópia)

 

Esse não foi meu melhor pedal. Fiquei muito cansado e desconfortável, com os pulsos doendo e rendimento muito baixo. Pode ter sido por conta do tempo parado (7 dias sem pedalar), noite mal dormida (umas 4 horas de sono) ou a cerveja e o churrasco da noite anterior. Além disso, minha roda traseira estava travada. Não estava girando completamente solta.

Ele já está na loja para verificação. Além disso, voltei com meu guidão borboleta. Vou ficar nessa configuração nas próximas 3 semanas me preparando para o Brevet 400 dia 20 de abril.

No final foram aproximadamente 105 km, 2200 m de altimetria e menos 5000 calorias…

Abaixo está o resumo do pedal. Os detalhes técnicos estão aqui.

Abraços e bons pedais.

WK.

2015-03-29 17.08.01 (Cópia)

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário